sábado, 22 de novembro de 2014

Compaixão


Compaixão;o desejo que os seres realizem sua natureza interna e se livrem de suas complicações.
 Essencialmente é o desejo que o outro supere suas dificuldades e possa melhorar. 
Atenção: 
compaixão é diferente de “pena”. 
Quando temos pena,estamos validando a imagem que a pessoa faz de si mesmo,e justamente por isso ela está mal. 
Compaixão é reconhecer no outro a sua natureza estável,perfeita,de luz,sua condição verdadeira,quebrando o encanto dos jogos que estão produzindo as complicações.”

Lama Samten

Namastê/Namaskar

(fonte:www.budavirtual.com.br)

domingo, 16 de novembro de 2014

Om AmmaBhagavan - Oneness Meditation Chant - Theo Hirschi

ABC da espiritualidade


“A fase da jornada que chamamos de ABC da espiritualidade,
ou fase de cura e transformação da natureza inferior,
envolve trazer para a consciência aquelas partes de nós mesmos que negamos;
com as quais ainda não chegamos a um acordo.
Esse processo de cura tem fases,
e o primeiro passo desse processo é a identificação dessas partes.
Então,você vai seguindo os passos até que entra no abismo dos sentimentos negados,
onde precisa aprender a navegar nas águas turvas do mar do medo,
até que ele possa ser dissolvido.”
 
Sri Prem Baba

Namastê/Namaskar


Sri Prem Baba


“Chega um momento em que você percebe o quanto é estúpido permanecer insistindo em determinada situação negativa:
é estúpido o ciúme,a inveja;rejeitar e sentir-se rejeitado;sentir-se impotente...
Mas,na verdade você quer continuar sonhando esse sono gostoso.
Isso é o que chamo de prazer negativamente orientado.
Significa que a vida vai dar mais algumas chicotadas até que você finalmente queira sair desse estado.
Ao olhar conscientemente para esse aspecto é possível renunciá-lo,
então você pode trocar o hábito negativo por um hábito positivo.”

Namastê/Namaskar


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O político é doente




O político é doente,psicologicamente doente,espiritualmente doente.Ele acredita que o poder é seu tesouro e não permitirá que esse poder lhe escape.Estou chamando isso de doença.Para ele,é sua viagem de ego.Ele está vivendo para isso;não existe outro propósito para ele.Quando está no poder,sua doença psicológica é demasiada.E qual é a doença?A doença é o complexo de inferioridade.Qualquer um que esteja interessado em poder está sofrendo de um complexo de inferioridade - bem no fundo,ele se sente sem valor,inferior aos outros.

A política encobre esse sentimento de inferioridade.

É o mesmo homem doentio,o mesmo homem que estava se sentindo inferior que está sentado como presidente.Mas simplesmente estar sentado numa cadeira,no papel de presidente,que diferença pode fazer à sua situação interior?

Essa é a situação dos políticos - apenas pus,chagas,inferioridade,sensação de não ter valor.Sim,ele subiu mais e mais,e a cada degrau da escada estava a esperança de que no próximo degrau a ferida seria curada.

Inferioridade cria ambição,porque ambição significa simplesmente um esforço para provar que você é superior.

Não há nenhum outro significado para a ambição,a não ser um esforço seu para se tornar superior.Mas por que fazer um esforço para provar-se superior,se você não estiver sofrendo de inferioridade?

(Osho,em Sacerdotes e Políticos*A Máfia da Alma)
 
Namastê/Namaskar

Possibilidades



A cada momento há a possibilidade de ser total. 
Seja o que for que esteja fazendo,fique tão completamente absorto,de modo que a mente não pense nada, esteja simplesmente ali,seja apenas uma presença. 
E mais e mais totalidade virá para você e o sabor da totalidade o tornará cada vez mais e mais capaz de ser total.
Procure perceber quando você não está sendo total. 

Esses são os momentos que precisarão ir sendo abandonados pouco a pouco. 
Quando você não é total...sempre que você estiver na cabeça -- pensando,refletindo,fazendo cálculos, sendo astuto,achando soluções engenhosas,você não é total. 
Pouco a pouco,vá se descartando desses momentos. 
Trata-se apenas de um velho hábito. 
Hábitos são difíceis de se deixar. 
Mas eles morrem certamente se a pessoa persiste,eles morrem.
Osho

sábado, 8 de novembro de 2014

Solidão e Solitude


Na solitude estamos constantemente encantados conosco mesmos.
Ela é abençoada,um profundo preenchimento,que nos mantém centrados e enraizados. 
Ela é independente.
Todos são um fim em si mesmos. 
Ninguém existe para ser usado. 
Quem está no pico da solitude só se atrai por quem também esteja só. 
Dois solitários olham um para o outro,mas dois que conheceram a solitude olham para algo mais elevado. 
Se estão felizes consigo mesmos,tornam-se companheiros. 
As palavras felicidade e acontecimento têm a mesma raiz em inglês. 
Porque a felicidade simplesmente acontece. 
Para ser feliz é preciso deixar acontecer. 
O caminho do amor deve ser tomado com tremenda consciência e o da consciência,com tremendo amor. Depois de cada experiência profunda nos sentimos sós e tristes:
seja um grande amor ou uma meditação. 
Por isso muitos evitam experiências profundas. 
A solitude é bela e livre. 
É um momento em que o outro não é necessário. 
Após essa liberdade o amor é possível. 
O amor traz solitude e a solitude traz amor. 
Já a solidão não cria amor;apenas necessidade. 
Ela pode matar. 
Dois solitários não conseguem se relacionar porque isso não ocorre a partir da necessidade.
Solitude é uma flor desabrochando,é positiva,saudável. 

Só o amor dá a coragem de sermos sós. 
Só assim acumulamos energia até transbordar e transformar-se em amor. 
Sós,acumulamos amor,celebração,dança,energia,prazer,vida. 
Só o excesso de energia possibilita o orgasmo,que não é um alívio,mas celebração. 
Quando os amantes se afastam,readquirem sua solitude,beleza e alegria. 
A alegria traz a necessidade de compartilhar. 
A paixão é muito pequena diante da compaixão. 
Solitude é mover-se para dentro e amor é mover-se para fora. 
Ambos os movimentos são enriquecedores.
Osho

Namastê/Namaskar